iPhone 12 Mini – Gosto não se discute

Corona Good News Boas Notícias Sobre O Coronavirus

Desde o iPad Air 4, a Apple parece estar inaugurado uma postura diferente em relação sua linha de dispositivos; antes com diferenciais bem definidos, agora com uma diversidade de modelos quase idênticos. Hoje temos o iPad Air 4 e o iPad Pro, os novos MacBook Air e MacBook Pro, e a nova linha do iPhone 12 como um todo.

O que há de comum entre os “pares” em questão é que não existe qualquer motivo técnico que seja capaz de, de fato, justificar a escolha entre cada um desses modelos. No caso do iPhone especialmente, grande parte dos usuários vai acabar escolhendo um ou outro modelo levando em conta basicamente dois fatores: a preferência por smartphones maiores ou mais compactos e a disponibilidade financeira.

Eu, particularmente, prefiro modelos mais compactos. Depois de sossegar um tempo com o Galaxy Note 10, não me aventurei mais com modelos maiores e, ainda assim, em algumas ocasiões desejava que o Note 10 fosse um pouco menor.

Fui à loja para poder ver o novo iPhone com as mãos, experimentei o iPhone 12 e o iPhone 12 Mini e, pelo conjunto preço + tamanho, acabei optando mesmo pelo mini. O iPhone 12 de 6,1″ ficou tamanho e peso excelentes, mas por ser mais caro e com dimensões semelhantes às do Note 10, preferi apostar minhas fichas no Mini mesmo.

Como uma escolha mais “segura”, peguei o modelo na cor preta. O design é realmente muito compacto, relembrando modelos mais antigos, como o iPhone 5S e, mesmo se tratando de um aparelho pequeno para um usuário com mãos grandes, achei a pegada confortável, proporcionando igual conforto e precisão na hora de digitar. Um único detalhe me incomodou: aparentemente, o frame de alumínio preto é pintado e, com uma semana de uso, já mostrou um pequeno descascado/machucado evidenciando a cor prata por baixo.

Um receio muito grande que tinha era relacionado a bateria, com apenas 2227mAh de capacidade. Porém, felizmente, meu novo Mini se saiu muito bem na prática – sem precisar restringir o uso ou fazer alguma restrição muito brusca nas configurações, ele tem sido capaz de aguentar um dia inteiro longe da tomada com mais de 6 hs de tela ligada (apenas ressalto que não tenho usado o iPhone para jogos).

Outro quesito que também não posso deixar de mencionar é a câmera; e o que eu vou falar aqui vai valer para todos os modelos do iPhone 12, já que a única diferença é uma câmera a mais nos modelos Pro. A diferença da câmera principal quando comparada com os modelos anteriores não fica tão sensível em locais bem iluminados, mas em fotos dentro de casa e à noite e em ambientes fechados com iluminação deficiente, essa diferença fica mais evidente; e o mesmo vale para a câmera ultra-wide, sendo que, nesse caso, a diferença é até um pouco mais acentuada.

Assim que tiver uma chance, vou tentar atualizar o posto com fotos do iPhone Mini e, principalmente, fotos tiradas por ele. Se possível, até mesmo em comparação com outros modelos que eu tiver acesso.

Enfim, tirando o que já foi dito, não há muito o que falar. Não vou me ater a benchmarks ou qualquer outro teste numérico por não ser muito o meu perfil. E, falando em experiência de uso, exceto pelo que foi dito acima, posso garantir que qualquer iPhone top de linha das 3 gerações anteriores entregam algo muito próximo.

Ah, tem o “one more thing”… sobre os bugs. Felizmente, até o momento, não fui acometido por nenhum, mas já há relatos não tão isolados de problemas relacionados à captação do sinal e ao consumo excessivo de bateria.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.